Pages Navigation Menu

Cileno Celebra 35 anos de carreira com novo cd de inéditas

Cileno Celebra 35 anos de carreira com novo cd de inéditas

Completar 35 anos de carreira na música independente não é para qualquer um, ainda mais se essa pessoa trabalhar e viver da música independente em Manaus desde a década de 1980. E, de fato, olhar para trás é certeza de que a caminhada não foi fácil para o cantor e compositor amazonense Cileno, 56, que prepara novo álbum de inéditas em comemoração às suas três décadas e meia de trajetória. Sem data para lançamento, o novo CD aguarda aporte financeiro de um edital público para ser finalizado.

“É um álbum comemorativo e vem colocando todas minhas influências como xote, samba rock, reggae, música africana, e alguns falam de amor”, explica o cantor e autor das oito faixas do CD, que se chamará “Cileno 35 anos”. “Há dois anos eu não lançava músicas inéditas, vinha compondo sem pressa. Montei todas as referências desses 35 anos, mas não foi algo pensado. As coisas foram se encaixando”, diz.

Este será o 12º álbum de inéditas dele, sem contar duas coletâneas. “É um álbum que difere dos outros porque resume minhas influências. Já fiz (CD) só de reggae, só de romântica, mas essas mistura com xote, música africana, eu nunca tinha gravado”, completa. As 8 faixas estão pré-produzidas e esperam apenas a finalização.

Dentre estas oito canções está “novenário” que será a última faixa da álbum e que foi vencedora como a melhor música do Festival Amazonas de Música de 2013. “Ela fala do lado religioso e da devoção do povo, do novenário aos santos Cosme e Damião”, explica. Para integrar o novo trabalho, “Novenário” recebeu novo arranjo, mais para um maracatu com rock, “meio Nação Zumbi”, como define Cileno.

Além dessa, o novo projeto é composto por “Você Assim”, um “funk djavaniano”; “Meu Dilema”, samba rock que será o primeiro single; “Deus Salve os Brancos de Fala Negra”, “reggae roots” sobre preconceito racial; “Cultura Popular”, de pegada africana; “Estranha Rotina”, uma balada sobre alguém que vive um relacionamento complicado; “Orixá dos Trovões”, um ijexá (ritmo musical dos Afoxés); e “Xote da Saudade”, uma homenagem ao sanfoneiro Dominguinhos.

E se qualquer fã tiver pressa para ouvir a nova obra, vai ter que esperar. Cileno tem o ritmo dele. “Esse é o lado bom do artista independente. Você não tem aquela pressão de ficar gravando dentro de um prazo, de dois ou três anos. A hora que “pinta” eu vou escrevendo. Vem sem pressa e depois vo lapidando”. comenta ele, que não é ligado a nenhuma gravadora e lança seus discos custeando tudo com o dinheiro que junta dos shows ou através de patrocinío e edital público.

O novo álbum tem Reinaldo Cardoso com produtor e tecladista; Rodrigo Andrade na guitarra; Eneas Nascimento como percussionista e baterista; e Marcos Cileno, filho de Cileno, como baixista. A capa do disco será uma ilustração que ficará a cargo do designer jaymadson.

“Cileno 35 anos” será vendido nos shows e também em local fixo: na banca de revista do Largo São Sebastião, localizado no Centro de Manaus, ao custo de R$20. O primeiro single, “Meu Dilema”, está disponível no Youtube. Cileno integra desde 2013 o movimento artístico Pirão Amazonas, que busca divulgar localmente artistas regionais e independentes.

Cileno

Cileno

Leia também:

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *