Documentário “Ermanno Stradelli – O filho da Cobra Grande” será exibido no Largo São Sebastião

0
145

Neste domingo, dia 20 de março, às 19h30, será exibido no telão do Tacacá da Gisela (Largo de São Sebastião, Centro), o documentário italiano “Ermanno Stradelli – O filho da Cobra Grande”. A exibição é aberta ao público em geral e dá início a uma série de homenagens pelos 90 anos da morte de Ermanno Stradelli (Itália, 1852-Manaus, Umirizal, 1926), que o Istituto Italiano di Cultura de São Paulo realiza ao longo de 2016, no âmbito do Ano da Itália na América Latina.

Stradelli, personagem extraordinário da ciência e da cultura do Amazonas e da Itália, abandonou a vida abastada e os privilégios da nobreza italiana para se embrenhar nas profundezas da Amazônia brasileira. Poeta, escritor, etnógrafo e fotógrafo, ele passou grande parte da vida estudando as civilizações ameríndias do Alto Rio Negro e do Rio Uaupés, sendo, até hoje, uma importante referência para os estudiosos de antropologia e de línguas indígenas.

Manaus, amada por Stradelli, foi a cidade onde o conde italiano se fixou em 1879, e foi o ponto de partida e de regresso de todas suas viagens de exploração, até o começo do século 20. É por esse motivo que a cidade será também a primeira parada das homenagens ao etnógrafo.

O documentário “Ermanno Stradelli – O filho da Cobra Grande”, de  Andrea Palladino, será projetado ao ar livre,  numa praça densa de história e memórias: o Largo de São Sebastião, em frente ao Teatro Amazonas, cuja primeira pedra foi posta justamente por Stradelli, representante, na época, da empresa italiana Rossi & Irmãos.

O filme, que conta com Paulo de Tarso, conhecido como Paulo Mamulengo, no papel do protagonista, recria de forma intimista e emocionante o olhar humanista de Stradelli sobre a Amazônia.

O mesmo filme será exibido mais tarde na Universidade de São Paulo (USP), na capital paulista. Nas palavras de Livia Raponi, vice-diretora do Istituto Italiano di Cultura de São Paulo, “Stradelli foi, junto com pequeno grupo de estudiosos, pioneiro e antecipador na atividade de registro e divulgação das línguas e das narrativas míticas indígenas, atuando como mediador cultural entre as civilizações ágrafas ameríndias e a Europa dos círculos literários e científicos”.

Livia também foi curadora da exposição “A Amazônia de Ermanno Stradelli: Rios, povos e lendas sob o olhar de um explorador italiano”, apresentada em 2013 em Manaus, no Centro Cultural Palácio Rio Negro, em parceria com a SEC, e em São Paulo e Roma. Segundo ela, embora seu trabalho científico e cultural não tenha tido o reconhecimento merecido, a memória dele continua viva entre os indígenas com que conviveu.

Como sequência das iniciativas dedicadas a Stradelli pelo Instituto Italiano, está previsto o lançamento de uma coletânea que reúne contribuições de pesquisadores brasileiros e italianos de vários âmbitos disciplinares sobre o etnógrafo, assim como uma ampla seção iconográfica que documenta sua produção de fotógrafo e cartógrafo.

Em parceria com a Sociedade Geográfica Italiana, será realizada também, a exposição fotográfica “Antigas e novas explorações”, que coloca em diálogo o registro fotográfico realizado por Stradelli no final do século 19,  com a produção de fotógrafos contemporâneos sobre a Amazônia.

Documentário “Ermanno Stradelli – O filho da Cobra Grande” será exibido no Largo São Sebastião
Documentário “Ermanno Stradelli – O filho da Cobra Grande” será exibido no Largo São Sebastião

Fonte: A Critica

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here