Pages Navigation Menu

2ª edição do ‘Lugares Que o Dia Não Me Deixa Ver’

2ª edição do ‘Lugares Que o Dia Não Me Deixa Ver’

A fachada da Santa Casa de Misericórdia, localizada na Rua 10 de Julho, 328, bairro Centro, é o primeiro lugar a ser destacado com luzes e arte no primeiro dia da 2ª edição do projeto ‘Lugares Que O Dia Não Me Deixa Ver’, cuja programação inicia nesta segunda-feira (02), a partir das 18h. A ação é realizada pela Cia. de Ideias, em parceria com o Ponto de Cultura Casarão de Ideias.

O projeto tem como principal premissa despertar a atenção da população e autoridades para a preservação e revitalização do patrimônio histórico da cidade, por meio de técnicas de iluminação cênica – cujo efeito reaviva traços e formas de edifícios – e intervenções artísticas em frente às construções abandonadas e com valor histórico na capital amazonense.

Parceria

Nesta edição do projeto, 15 lugares da cidade foram selecionados para receber as iluminações especiais e as intervenções. Nesta segunda (02), além da projeção das luzes para valorizar os traços e entornos da Santa Casa, serão expostas cerca de 30 a 40 fotografias do grupo ‘A Escrita da Luz’, projeto que abriga trabalhos de fotógrafos como Alexandre Fonseca, Ione Moreno, Raphael Alves e Lucas Jatobá. A iluminação projetada dialogará com a estrutura do prédio em paralelo, até as 23h.

As fotografias a serem expostas integram o rol de imagens que foram apresentadas no Festival Manaus Bem Na Foto 2010 e 2011, e que fazem parte da intervenção fotográfica Em Todo Lugar, que ocorreu no período de 17 a 19 de agosto de 2013. As imagens medem 50×60 cm e retratam as belezas e diversidades da capital, de acordo com o fotógrafo Alexandre Fonseca, um dos membros e expositores do ‘A Escrita da Luz’.

“Costumamos levar nossas exposições para lugares inusitados, fora do padrão, como pontes, praças, ruas, etc. A parceria do grupo ‘A Escrita da Luz’ com o projeto é muito positiva, é a união de artes em prol de algo diferente. Interessante juntar duas ou mais formas de expressão em um movimento fora do padrão, levar a arte para as ruas de forma inusitada”, evidencia Fonseca.

De acordo com o diretor da Cia. de Ideias, João Fernandes, o projeto assume o resgate dos aspectos socioculturais e históricos de Manaus. “Vivemos em um lugar onde o que é de fora costuma chamar mais atenção em relação ao que é daqui. Mas nestes lugares de Manaus existem histórias, memórias e afetos. Quantas pessoas não viveram tantas histórias nestes lugares?”, aponta Fernandes.

A escolha da Santa Casa para levar a abertura da 2ª edição do projeto está vinculada à mesma política de resgate e valorização, conforme João. “A Santa Casa não está inserida nos modelos arquitetônicos da Belle Époque, por exemplo, mas o seu espaço poderia ser reutilizado, mais valorizado”, ressalta o diretor.

Retorno do público

João ressalta ainda que o retorno do público é favorável à ação. “O que recebemos de feedback nas redes sociais é que existe a carência e a necessidade de se abordar por essa nova ótica esses lugares que foram e ainda são importantes para a história da nossa cidade”, completa Fernandes sobre o projeto, que ‘iluminou’ na edição passada lugares como o Relógio Municipal, o Complexo da Booth Line e o antigo Cabaret Chinelo.

Programação

O projeto ‘Lugares Que O Dia Não Me Deixa Ver’ acontecerá durante o mês de setembro, nos dias 02, 09, 16, 23 e 30, sempre a partir das 18h. Entre as ruas e avenidas a serem contempladas com o projeto estão a 10 de julho, Eduardo Ribeiro, Ferreira Pena, Joaquim Nabuco e a 7 de Setembro. Entre os lugares selecionados para a temporada estão, além da Santa Casa, as Praças da Matriz e Tenreiro Aranha, o Palacete Nery e o Porto de Manaus.

Serviço

O que é: Início das atividades do projeto ‘Lugares Que O Dia Não Me Deixa Ver’
Onde: Santa Casa de Misericórdia (Rua 10 de Julho, 328, bairro Centro)
Quando: Nesta segunda (02 de setembro)
Horário: A partir das 18h

projeto ‘Lugares Que O Dia Não Me Deixa Ver’ chama a atenção para a arquitetura e o turismo de Manaus (Ruth Jucá/Divulgação)

projeto ‘Lugares Que O Dia Não Me Deixa Ver’ chama a atenção para a arquitetura e o turismo de Manaus (Ruth Jucá/Divulgação)

Leia também:

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *